sexta-feira, setembro 08, 2006

 

Da Terra com Amor...

A tendência moderna é comprar em grande quantidade e guardar os produtos pereciveis no frigorifico mas nenhuma mamma italiana usaria uma courgette murcha ou um tomate enrugado - imaginem só o que diriam os vizinhos! Sugerimos que imite estas infatigáveis matronas - compre os legumes frescos no mercado, escolha-os com cuidado para que fiquem no ponto e se não encontrar o que procura, não caia na tentação de os substituir por qualquer coisa enlatada, é mais prudente mudar a ementa.


Robert - um vegetariano irredutivel - trata os legumes com a apaixonada devoção que outros dedicam às ostras. Vi-o trincar uma humilde cenoura com lascivia de glutão lendário e sei que em casos de apuro, quando o visita Anette, a mulher dos seus sonhos eróticos, faz com as suas próprias mãos uma autentica ratatouille francesa, uma das receitas de vegetais mais estimulantes do repertório culinário universal.
Robert pega em beringelas, cebolas , pimentos, tomates, alhos, coentros, salsa, manjericão, louro, pimenta de caiena, etc corta os legumes às rodelas com toda a pericia; frita as beringelas em azeite durante cinco minutos cantarolando O Sole Mio; junta o resto, cobre a caçarola com uma tampa e cozinha em lume muito brando durante uma hora. Entretanto, toma um duche, veste a sua melhor camisa e recebe Anette com uma rosa nos dentes. Depois destapa o tacho, mexe bem e deixa repousar o seu infalivel ratatouille durante dez minutos antes de o servir. Também é delicioso frio na manhã seguinte, para repor as forças.

Texto de Isabel Allende in AFRODITE


Comments:
Ai meu Deus! Que me deu até fome depois de ler essas delícias!!!!!
Vou já pra cozinha, preparar essa receita.
Isso é que é homem! O resto é conversa!

Beijos,
Tom
 
Bem a esta hora o pequeno almoço está quase a ser servido...

Bom apetite

beijos
 
Hummm...já me apetece ser Anette, para ter esse delicioso ratatouille à minha espera... Obrigada pela sugestão! :)
 
tom


minha amiga Gisèle, nascida na zona de Toulouse , mas que já viveu em Lisboa, em Brasilia, em Luanda, Guiné , Cuba e tantos outros locais ensinou-me a fazer a ratatouille, que sempre achei deliciosa - só ou para acompanhar outros pratos.
Há uns dez anos quando Isabel Allende publicou o Afrodite, encontrei esta receita neste livro extraordinário, escrito após a morte de sua filha Paula:

..."passei tres anos a exorcizar a tristeza com ritos inúteis. Foram três séculos...quando os sonhos de comida começaram eu soube que estava a chegar ao fim do longo túnel do luto e emergia, por fim em plena luz com uma vontade tremenda de voltar a comer e namorar. E assim , pouco a pouco, quilo a quilo e beijo a beijo, nasceu este projecto"...

este é um exemplo como um prato de vegetais , bem simples e rápido de preparar, pode ser extremamente atraente, nutritivo, saudável e saboroso fazendo as delicias dos paladares mais requintados

Bom apetite.
 
ainda nem o peq almoço tomei , perdida

e hoje não há ratatouille porque fiz ontem uma coisa parecida mas com feijão verde partido grosseiramente, cenouras, courgette,tomate e cebola - tudo estufado no tacho ao mesmo tempo, regado com azeite e ervas aromáticas; um pouco de gindungo não lhe faz mal nenhum, que ajuda a combater o colesterol...
 
eve

anette ou eva , há sempre algo à nossa espera.

Mas não creio q nenhum Robert deixasse os tachos e a loiça para a sua convidada lavar...
beijinhos para ti
 
Ai ai, tão lindoo e apelativo...bom fim de semana, bjinhos.
 
experimenta fazer, sabr

é fácil, nutritivo e ...delicioso.

beijinhos
 
Já decidi - vou comprar esse livre da Allende, que já tem 10 anos de publicado. Não posso perder mais tempo.

Dois posts seguidos com uma das escritoras mais famosas do mundo??? E ambos os posts, com as ilustrações, transformaram-se em excelentes bloguices. Só mesmo tu, Greentea.

Pela hora em que postaste, já vejo que também te deitaste tarde... lol

Hoje dei-me a muitos prazeres: acordei "muito" tarde, nem o Tibério ladrou a acordar-me. Um bom duche. Um café em casa. Depois, numa pastelaria próxima, um bom brunch (a substituir o almoço), folheando os jornais, lendo apenas as gordas. E só então, é que, já em casa, me sentei no computador a tratar das bloguices, sentindo o cheiro dessa coisa parecida à ratatouille que fizeste ontem, que deve ter ficado melhor do que a receita, pois tem um pouco de jidungo. (estou atento, lol)

Um bom sábado para ti.

António
 
Ah!!! Que frescor! Daquilo que temos e que a terra nos oferece, está o sentido da vida! Beijos.
 
Green,
Embora não seja vegetariana, gosto cada vez mais de legumes e , com aquela minha costelinha afrancesada, não dispenso uma boa ratatouille. Quelle délice!
Beijinhos grandes!
 
Tenho esse livro e é uma maravilha para (todos) os sentidos. Pena é que hoje em dia haja tão pouco para procurar sempre esses deliciosos legumes frescos. **
 
Hummmmmm....está na hora do meu almoço e vou correndo até o Mangericão, um restaurante natural DELICIOSO, assim como sua receita.
Beijos
 
Que posts tão fresquinhos e apetitosos! Cozinhar nu, nadar nu, ser feliz nu é mais fácil...
Grata pelos parabéns, vou fazer amniocentece dia 27. Esta é a minha oitava gravidez, já fiz 5 amniocenteces... Tenho duas meninas e parece que agora vem o menino. Estou serena e tranquila, muito feliz e expectante. Tive duas ectópicas no último ano e acredito nos ciclos da vida: às vezes dor, às vezes prazer. Conto que este seja um tempo de prazer...
Beijo enorme
 
125, prioridade às grávias

portanto és a primeira a quem respondo, apesar de seres a última da lista
também acredito nesses ciclos, nesses momentos "determinantes" em que nos sentimos perfeitamente tranquilas e felizes (porque chegou o tal do momento)... será essa a altura própria porque as outras não eram para ser, com amniocentese ou não - também tive uma gravidez assim na altura própria, muito tranquila, sem enjoos nem dores, não fui para a maternidade a conduzir o carro só porque não calhou, depois ainda fomos os dois almoçar descansadamente, convrsámos e depois qd chegou a hora eu entrei. Sozinha . Porque assim o quiz e tudo correu maravilhosamente. E não esqueço o olhos daquele bebé que me puzeram em cima da barriga , a olhar o mundo, como se já fosse crescida!!

Tudo tem o seu momento próprio para acontecer.
 
leticia,

espero que tenhas almoçado bem e jantado melhor , para estares em perfeita forma lá no teu Aconchego, com a voz deliciosa q tens. Estive a ouvir-te de manhã!
 
vida de vidro

o livro é uma delicia para todos os sentidos.

Quanto aos legumes, ainda existem nas praças ou por vezes vou aqui à Feira de São Pedro de Sintra, aos domingos 2º e 4º de cada mês; mas tenho muitas vezes , legumes frescos e naturais, que trago da aldeia, qd lá vou nos fins de semana
 
canela,

ratatouille é mesmo delicioso, com ou sem costela francesa...

beijinhos para ti
 
santa

ainda bem que gostas do frescor da terra, com amor.

um beijo
 
antónio

aos sábados o ritmo é outro sem dúvida.
Podemos deitar e levantar à hora q queremos , fazer peq almoços e almoços misturados, n~~ao ter horários e ocupar o dia a nosso belo prqzer. Foi o que fiz também.

Um abraço
 
Cheguei em boa hora! Que aspecto!

Obrigada pela visita à Casa de Maio, sempre com a porta aberta...

Bom fim de semana:)
 
Enviar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?