quarta-feira, setembro 20, 2006

 

AMOR... NAO E ---parte III




Se de facto ama seu filho, n~~ao va atras dele para a matricula na faculdade, ele ja esta grande , se chegou ate aqui sabera virar-se sozinho e vai integrar-se muito melhor...
Nao faça como aqueles pais que vi ontem, enquanto esperava pacientemente no carro, no parque de estacionamento da bendita Universidade, entretida a ler ou a fazer malha para aliviar o stress - nada melhor...

Pois como dizia, que as mulheres tem vistas largas e n~~ao perdem pitada do que se passa a sua volta, a minha vista alcança ao longe um trio que me desperta a curiosidade - pai ``a frente, andava nos cinquentas , forte, alto, seguido da m~~ae com caracteristicas identicas... e , a alguma distancia vinha a filha tambem ela forte e alta, com a cara pintada a atestar a sua qualidade de caloira, papeis de matricula na mao que para qualquer outro seria a coroa de louros, a expressao maxima da vitoria!! Mas nada disso, a piquena vinha enfiada, desanimada, atrapalhada com aquelas duas aves raras a sua frente, As praxes s~~ao um meio de integrar o novo aluno, mesmo que tenha de dar de comer a outro de olhos vendados, fazer o pino, tomar banho no fontanario da praça publica ou ir cantar o alecrim aos molhos no karaoke... crescem e desinibem-se que na vida vao ter de ultrapassar outros tantos momentos nem sempre bons. deixe-o ir mas nada de se meter la pelos Campus adentro a farejar tudo - de-lhe boleia de madrugada para ele conseguir a senha para se inscrever ou deixe-o para fazer uma "directa", mas nada de ir com a criança para a secretaria, reclamar para os guichets...

E para quem acompanha a telenovela, ontem quando chegamos as tais 150 senhas diarias para matricula ja haviam sido distribuidas...mas o caloiro integrou-se no ambiente, encontrou colegas da antiga escola, combinaram esquemas para o dia seguinte e transportes alternativos, facilitando a tarefa dos pais que apenas tiveram de se levantar pelas seis da manha para os deixar no metro da Roma-Areeiro, Depois iam apanhar o comboio da Fertagus que atravessa a ponte, mais um autocarro que os leva ate as portas do Campus Universitario e uma vez la dentro , pelo menos que ainda haja duas senhas de matricula para cada um deles!!

Comments:
Lúcido e atento. Bom dia, bjinho.
 
bom dia sabr, l´´ucido e atento
 
Amar é tudo isto e ainda ter humor amoroso para fazer estes dois últimos posts! E amor não,definitivamente, invadir a vida dos filhos, viver os sonhos próprios atropelando os deles...
Beijinhos e parabésn.A ambos!
 
125,
para criar filhos hoje em dia e preciso muito amor e muito HUMOR!!
quem nao o tem perde o barco e deixa de acompanhar , de estar na onda zen deles...
O tal filho bemamado,o caloiro, que por sinal ´´e uma filha, chegou a tempo hoje ``a Charneca da Caparica, Universidade Nova de Lisboa; foi-lhe distriibuida a senha 86, a colega da outra escola tb.
Ja tinha sido praxada, tinha a cara pintada e qd lhe liguei, pelas nove horas. estava na casa de banho a vestir a roupa do avesso, conforme lhe mandaram fazer... Mais n~~ao sei, mas as"atrocidades " das praxes nao irao muito alem disso e agora o dia ´´e dela, os proximos cinco anos, o resto da vida, como sempre foi desde que viu a luz do dia e começou a mirar o mundo a sua volta!!

um beijo para ti
 
Grenntea, a praxe aqui tem o nome de trote. Ir acompanhar um filho ou não permitir que ele participe é excluí-lo da alegria barulhenta dos jovens,de não sair nas fotos que vai gostar de ver dez anos depois. Aqui faz-se uma semana de praxe conforme a área de ensino. Como o meu filho faz Biologia, os calouros costumam limpar o meio ambiente, praias, rios e há um mutirão de doação de sangue no hospital que faz parte da faculdade. E há a famosa cervejada , que nada é tão sério assim. Os calouros ficam uns quinze dias nos sinais de trânsito, todos pintados a pedir dinheiro (todo mundo dá porque já é comum)e quando juntam o suficiente, "fecham" um barzinho próximo e é cerveja para calouros e veteranos. Qual pai vai querer privar o filho dessa confraternização?
Ainda não sei qual a área profissional que a sua filha
escolheu. Parabéns!
vai ao Pitanga, há lá flores pra ti também.
 
OLÁ
Gostei de ler, porque no sábado passado estive num almoço em família e arrepiei-me com as atrocidades que ouvi... precisamente deste género!
Uma moça que anda no secundário, para ir a casa almoçar ou vai com a Mãe ou com o avô, caso a Mãe não possa sair do seu trabalho, pedir à colega que lhe pique o cartão...aliás, quando sai da escola é a mesma coisa, ou seja, não dá um passo fora da porta de casa sem ser acompanhada!enfim
...sem comentários.
O meu filho, infelizmente ou felizmente, com 8 anos de idade, ainda na Escola Primária, ou seja, ensino básico tinha que ficar com a chave de casa, pois não tinha quem andasse com ele para cima e para baixo, felizmente ficou preparado para a Vida e nunca nada lhe aconteceu. Mas, quando oiço estas teorias de Mães que têm a mania que são mais Mães que as outras e que gostam mais dos filhos do que as outras(neste caso...eu) fico de cabelos em pé.
Beijos.
 
Peço desculpa se escrevi algo que não gostes, não me apercebi que a menina é a tua filha.
Apenas escrevi isso, porque aconteceu comigo e, não suporto certas pessoas que têm a mania que são mais do que as outras e, atenção: não me estava a referir à tua pessoa!
 
kalinka,
qd a minha filha tinha seiis anos pediu para ficar sozinha em casa enquanto eu ia ali perto entrgar qualq coisa. Ficou , sem qualquer problema; gradualmente foi começando a ir para a escola sozinha, a viajar nos transportes , a ir a Lisboa; tinha 10 anos foi de aviao sozinha para Bruxelas, quando o av^^o esteve doente, muitas vezes ia no comboio quatro horas sozinha para ir ve-lo.

Nestes dois ultimos dias havia tanta papelada para tratar e tanto sitio aomnde ir e coisas para tratar em simulktaneo que lhe disse que ia com ela, ie, que a levava no carro, para despachar - mas num dia de caloiro nunca entraria na Faculdade nem passaria os portoes do Campus, fosse na Charneca da Caparica ou na Universidade do Minho ou da Beira Interior - ´´e um tempo deles e eles tem q o viver , ``a sua maneira. Sempre a criei de forma independente, respons´´avel, mas acho que hoje n~~ao podemos andar tao livremente como se andava ha uns anos atras, mas ela tb tem um grupo de excelentes amigos e uns com os outros sabem perfeitamente fazer as suas escolhas e por isso este ano foi acampar, sai de quando em vez para as discotecas e coisas dessas e qd foi a festa de finalistas pediram para ir ver o nascer do sol na Praia das Maças...
quem n~~ao gostaria de ir, Kalinka?
 
Olá
pelo que aqui leio criaste a tua filha tal e qual eu criei o meu filho, a saber estar só quando isso era necessário...
não sei se me fiz entender no meu comment, eu estava a referir-me a alguém da família que ainda hoje, tendo a filha 13 anos não a deixa ir para a escola...santa paciência!!! sózinha, quando a escola fica a 10 minutos a pé de casa e nem autocarro tem k panhar.

Percebo que se vá com a filha no intuito de ajudar, nesse caso, com filas de gente sempre é melhor 2 pessoas...papelada para tratar e tanto sitio aonde ir e coisas para tratar em simultaneo que lhe disse que ia com ela...ÓPTIMO.
Concordo...que é um tempo deles e eles tem q o viver à sua maneira.

ver o nascer do sol na Praia das Maças...quem não gostaria de ir, Kalinka?
Pela pergunta k me fazes parece k eu não iria aceitar isso, mas, apenas posso dizer que aceito e acho muito saudável ter gostos tão bonitos como esse.
 
Também quero criar minha pequena Helena assim, livre, segura, feliz ...
 
ghiza

desde que a minha filha nasceu, talvez desde q soube q estava gravida nunca a considerei como minha, mas dela
- cada dia era mais libertador que o outro - primeiro vem para a "rua", depois cortam o cordao, depois temos q lhe dar de mamar e trocar a fralda e pegar ao colo mas depois eles começam a andar por eles, a pegar as coisas, a escolher o que querem comer , a escolher o que querem vestir, n~~ao o que nos gostamos se bem que a minha filha goste de ir as compras comigo, ainda ontem fomos ao shopping comprar mais uns tops e um blusao e +++nao sei que como se nao tivesse nada q vestir, Telefonou ha pouco, ainda estava la pela fauldade encantada, a descobrir novos mundos, diz q ainda ficava mais um bocado... Acho optimo! Gosto muito mas nao sou mae galinha...
Beijos para ti e para a Helena.
 
kalinka

tb tenho exemplos desses bem perto - um rapazinho de 15 anos que mora num 1º andar, bem seguro, porta com video-porteiro, por sinal ja chumbou duas vezes no 8º e os pais nem sequer o deixam sozinho em casa, nem sequer a tarde, qt mais a noite... eu sempre fui habituada a sair , a ir para a escola sozinha, a tartar das matriculas, quando ficavamos com a minha avo, em Lisboa, ela dava-nos dinheiro e mandava-nos ir fazer compras ``a Baixa, a retrosaria, ao Chiado, ao supermercado qd apareceram - iamos a p´´e e voltavamos de el´´ectrico ...assim coomecei a conhecer Lisboa e a ambientar-me bem cedo com dinheiros , compras, etc

considero aprendizagens importantes.

beijos
 
Um sbraço deste lado do Atlântico (ainda)
 
boas viagens por ai, viajante

um abraço
 
Gostava de ter tido uma mãe assim! ...mas não sei se QUERO ser uma mãe assim! Os pais têm tendência a ver dificuldades onde existe crescimento..., parece-me..., na pouca experiência que tenho com filhos e na muita que tenho como filha
 
Greentea,
felicito-te a ti e ao teu filho, nesta ocasião festiva, que é a da entrada na universidade.
Também já passei por isso com o meu filho mais velho, fez mestrado em teoria da literatura,o do meio preferiu trabalhar após o 12 º ano e aguardo as lutas com uma adolescentezinha de 13 anos, que não gosta muito de estudar.C'est la vie!
O que todas as mães desejam é o melhor para os seus filhos, seja qual for o caminho que eles escolherem.
Beijos grandes
 
Desculpa, não li os comentários! (Para variar!)
 
tudo depende dos pais ...e dos filhos, choninha.
Considero a liberdade pessoal e individual um factor muito importante mas como vivemos em sociedade e em familia temos de fazer cedencias e acordos mas sempre conseguimos essa harmonia, esse preservar da personalidade e dos gostos de cada um, responsabilizando e nao superprotegendo....
beijinhos para ti
 
canela,

pois mas o que n´´os achamos o melhor pode nao ser o q eles acham melhor...tu acharias que o melhor para a tua filha seria estudar mais, mas ela nao acha...
c'est la vie!!!
qd a minha filha tinha uns dezoito meses, a maezinha achava q o melhor para ela era a caminha de grades onde dormia... mas a piquena nao se sentia la bem e acordava todas as noites a chorar. Quando se comprou uma cama de grande, passou a dormir sossegada toda a noite e nunca caiu da cama abaixo - va la entender!
 
Gostei muito desta conversa de mães, saudáveis e modernas, tentando fazer o "melhor". Ao sentir tanta aflição, veio-me à ideia que 10/15 anos é muito tempo! Pois que nenhum desses problemas tive o com filho e faculdade. Sempre tratou de tudo sozinho e só estávamos na rectaguarda e de longe, a orientar.Eu nem percebia a sorte que tinha! Mas mete medo a forma como dificultam a vida dos mais jovens e a luta dura que têm pela frente, curso, emprego ... Temos de estar com eles: lutar com eles e por eles. Amor é isso e sempre. Abç e felicidade para essa menina e esse novo caminho. Parabéns à mãe tb.
 
Olá! Minha querida super mãe seu diploma ja está consolidado nos corações dos seus filhos, disso tenha certeza, aliás, não tão somente por eles e também por quem a conhece que vê o seu zelo no cotidiano dos seus filhos.

Eu que entrei no seu blog uma vez e agora pela segunda vez percebí isso de cara!

Nos seus relatos você da exemplos para muitos pais que pensam que criar filhos é só matricula-los em bons colégios e o resto eles (os filhos) que se virem. Quando na verdade é muito mais do que isso, é acompanha-los, é direciona-los, é cobra-los, é tudo que você diz e diz com maestria. É isso ai... PARABÉNS mais uma vez e em frente!

Ah, obrigado por ter ido no nosso blogue, uma pena você não ler sequer um texto... Mas, tudo bem, mudei a cor das letras, viu? (risos)

O Sibarita
 
bettips

nunca os meus pais se meteram nas minhas opç~~oes de ir para este ou aquele curso, de ir trabalhar, de frequentar esta ou aquela actividade; nunca sequer foram saber se eu estudava ou nao, se tinha testes , exames ou matriculas ... eu sempre tratei de tudo sozinha.
Eduquei a minha filha nessa perspectiva de independencia e crecimento sem que no entanto ela sentisse desisteresse por parte dos pais.
Mas, nomeadamente ao chegarmos ao 12º ano o candidato depara-se com inumeras questoes/opçoes que vao marcar a sua vida futura :
necessidade de fazer ou nao todos os exames finais em 1ª e/ou 2ªfase
- necessidade de ter de atingir certas medias , confrontando-se com a existencia de vagas ou nao na faculdade/curso escolhido
-concorrencia entre diversas faculdades que tem o mesmo curso, ou identico
- candidatura ao ensino superior definida pela compra de um impresso q custa 10€uros e vem acompanhado de uma brochura com mais de 100 p´´aginas,com os tramites a seguir
- e depois toda uma panoplia de prazos, recursos, entrada em 1ª ou 2ª fase, vagas...etc ...etc

A minha filha ´´e independente, decidida, inteligente, boa aluna e ia com excelente m´´edia para um curso que ate tinha vagas. Lev´´amos um verao de stress desde os exames em junho ate aos resultados das candidaturas em 16 de Seteembro, As matriculas decorrem em 5 dias da semana seguinte e as aulas começam a 25 de Set. Ate ja se exige o numero de contribuinte para o aluno se inscrever, mais o atestado da junta de freguesia mais o boletim de voto, tres inqueritos para saberem o que jantaste ontem, se es analfabeta ou estrangeira.....etc etc

Por acaso , a minha filha ter´´a o previlegio de ver nascer o sol todas as manhas no comboio q atravessa a ponte , pois ficou colocada na "NOVA"; mas para quem ficou a Kms de casa, tenha de se inscrever dependendo de condicionalismos de senhas, de se dispor ou nao a passar a noite a porta da Fac, de ter de procurar qurto/casa, da eventualidade de se esquecer da fotocopia da vacina da raiva ou do boletim de vooto...nao sei nao

por tudo isso cada vez mais mae e pai tem de estar presentes no dia a dia dos filhos , sem paternalismos nem maternalismos exacerbados ou proteccionismos decadentes , mas acompanhando e ajudando a tomar decisoes/opçoes que os marcaram sem duvida para sempre.


um beijo para ti
 
Menina você está arrebentando como se diz por aqui! Adoro ver pai e mãe que deixa filho ser e crescer sem amarras, só com orientação pedida e consentida! viva! É assim que se constrói um mundo melhor!
 
Enviar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?