terça-feira, Agosto 08, 2006

 

Menino ou menina??

Here's your Tarot Reading for AUGUST 08, 2006.

Love

Touchstone

Career



The Devil and the Empress are teasing you today, which means you will be at your most charismatic and charming. You'll be feeling confident, adventurous and mischievous. and trying to work your charms on everyone, dear M.- both young and old! No doubt you'll manage to get them all on your side, but there's no need to go over the top. Tone it down a bit! If you work in the communications industry, this is a day to watch out for. Your powers of persuasion and your innate talent for diplomacy are reinforced by the union of the World and the Empress. It's not impossible that you may be offered an opportunity abroad, so today's the day to dust off your old foreign language textbooks and do a bit of revision - it might pay off!

The Devil…era a carta que saíra no Tarot, mas pelos vistos vinha com bons pronúncios! Antes assim. Na realidade detestava aquele dia. Todos os anos sentia as entranhas a revolverem-se, aquela angústia , aquela crispação que não sabia explicar. Ou talvez soubesse.
O Pai desejava um rapaz. Tinha nascido já uma menina e Sara , grávida de novo, esperava o menino que João pretendia para dar continuidade ao nome de família. Na época, não havia ecografias nem ultrasons – aguardava-se até ao dia do parto para saber o sexo do bebé , com muita ansiedade, com temor , com rancor, talvez, do que pudesse estar lá dentro. Talvez sejam todos esses sentimentos que Maria sentiu na mãe enquanto crescia na sua barriga que a invadem de novo em cada ano – como se não quisesse nascer, como se se recusasse a vir cá para fora porque sabia que ia ser rejeitada. Nasceu no dia oito , do mês oito , de um ano terminado em oito, pelas oito horas da manhã, um número que traz bons augúrios segundo os chineses.
No entanto, naquele dia oito, quando a médica anunciou que era uma menina, o pai saiu porta fora deixando a mãe sozinha na Maternidade durante três dias; a menina que não era menino ficou no seu bercinho, silenciosamente, sentindo a solidão, o abandono, a falta de carinho, a rejeição do pai e da mãe e até a da própria irmã, temerosa que lhe tirassem o lugar. Cresceu assim, sem ternura, sem afecto, sempre comparada com a sombra da irmã, a Jóia da Coroa. Não se lembra de alguma vez ter apagado as velas de um qualquer bolo ou de lhe terem cantado os parabéns, mas recorda-se de irem jantar à antiga Feira Popular a que ficava nos jardins da Gulbenkian e que o must era andar no comboio fantasma…

Tal como a leitura do Tarot de hoje, Maria tornou-se numa figura carismática e charmosa, com uma indestrutível confiança em si própria e um talento inato para a diplomacia, um espírito de aventura e um poder persuasivo, que a levaram longe, fazendo-a sacudir o pó da sua infância. Foi-lhe oferecida uma oportunidade no estrangeiro, que aceitou, recompensando muitas situações antigas.

Mas apesar disso, todos os anos, naquele dia 8, a angústia revolvia-lhe a alma e as entranhas, a angústia que a mãe sentira durante a gravidez e o parto; a mesma angústia que sentira ao ver-se só naquele quarto de maternidade, sem o conforto de um sorriso ou de um afago a dar-lhe as boas vindas, sem um colo que a protegesse das agruras do mundo. Por isso cresceu determinada e independente, rígida e distante , por vezes, mas uma lutadora , sempre. Que algum psicólogo, algum especialista em regressão, lhe explique como se libertar daquela angústia mórbida, daquele querer apagar para sempre da memória o dia do seu aniversário!

Comments:
Querida Greeentea,

Neste dia, mais do que em todos os outros, o meu pensamento está contigo. E não é por causa do post de hoje... já me tinhas dado várias pistas relativamente à importância desta data para ti, lembras-te?

Beijos, amiga.
 
É uma história triste, mas ao mesmo tempo de coragem e força de vontade e muito bela.
Infelizmente conheço algumas Marias que se sentiram indesejadas por não serem homens, mães que se culpabilizavam por não darem aos maridos um filho homem. E infelizmente por esse mundo fora ainda há muitas mulheres (mães e filhas que passam por esta tormenta). Ser mulher por vezes parece um castigo. Mas p conseguirmos seja o que for temos q nos esforçar muito mais q os homens, o que me parece provar sermos o sexo forte, de facto (sem sexismos à mistura).
Hoje é dia 8 do mês 8. Será q te devo dar Parabéns? Se for o caso espero q tenhas um dia cheio de alegrias. Beijitos e tudo de bom.
 
Oh minha kida que lindo o teu post..apesar da rejeição Maria venceu e é uma lutadora, mostrou que apesar de tudo conseguiria ir longe se acreditasse em si própria.. Eu penso que hoje é o teu grande dia não é? Parabéns se estiver certa, continua a ser mulher com garra que eu acredito que sempre foste... Bjhs
 
Não tenho duvidas de que esta "MARIA" tem a ver contigo...
Alias é só darmo-nos ao trabalho de passar os olhos pelo teu blog...

Parabêns e muitas felicidades.
 
Greentea,
esquecer do próprio aniversário, é impossível. Transmutar os sentimentos e sensações, isto sim é possível e altamente recomendável.
Embora não conheça Maria, creio que ela vem achando o caminho para transformar a rejeição em amor próprio, orgulho e autoconfiança. Gostaria de lembrá-la das milhares de Marias nascidas em países onde o fato de serem meninas será um estigma para carregar por toda a vida. Essas pobres criaturas sofrem mutilações na genitália. Já imaginou?
Não sei se você é Maria. Se for, não se sinta só dentro desse sentimento. Maria somos todas nós, afinal.
Um abraço forte.
 
Greentea

Todas as "Marias" que lutam e sonham atingem sempre, mais cedo ou mais tarde, os seus objectivos, disto eu tenho a certeza!

Dia oito, mês oito... Lindo dia para se nascer, ainda que se queira apagar da memória esse dia!

~*Um beijo*~
 
Minha querida

se eu tivesse um blog lindo como o teu...
Mas sabes que o meu é horroroso, e às vezes tento embelezá-lo... mas nem sempre consigo...

Tu sabes quantos já comecei e apaguei...

Há dias comecei um novo, só mais para colocar imagens, que é um passatempo que gosto muito.

http://semsentidonenhum.blogspot.com

beijos
 
O teu texto emocionou-me, e revolveu-me as entranhas...especialmente hoje que estou num dia péssimo.

Não vou comentar (não sei que dizer) apenas que há momentos que me apetece tanto um abraço teu, sem ser aquele abraço virtual de sempre ...

Fica bem beijos
 
Chá verde, saúde, felicidade possível, o colo que damos aos outros e que nos faltou a nós...
Parabéns, menina ternurenta!
Também conheço uma menina com um 8 no ano de nascer, quase nasceu por vergonha (só a mãe a desejou, viva), o pai tratou-a duramente, como se fosse um rapaz (que preferia), tem este ano um 8 nos seus anos... E sabe como se vingou? Tratando o filho MELHOR, a melhor maravilha que aconteceu. E nunca faltou com o seu ombro a ninguém. Isto é ser Mulher. Única, como a Maria que partilhou connosco. Beijinho
 
Também sou Maria. A mais nova de tres Marias. Também não fui muito desejada por que os tempos eram difíceis mas com o passar dos anos me mostrei a mais forte das tres, mas não gosto muito de comemorar aniversário e nem sei porque.
beijos a quem fizer anos hoje.
Pitanga
 
Minha querida Greentea, parabéns neste dia 8, grande xi-coração e muitos beijinhos!
Obrigada por seres como és:
- pela beleza que pintas neste blog, por palavras e imagens;
- pela ternura que ofereces;
- pela magia que espalhas à tua volta;
- por "acreditares";
- por ires mais além!
O passado...deixa-o lá onde ficou!
Hoje és uma lutadora, uma jóia rara, uma mulher completa!
Não estás contente com a tua obra???
Convida-me para um chá verde e ...onde está o teu bolo de aniversário para eu, gulosa e redondinha, comer uma fatia?
Beijokas doces
 
Uma estória triste. O aniversário deveria ser um dia feliz, pois é a comemoração de nosso nascimento a cada ano. Menino ou menina? Deveríamos pensar mais se é saudável, se puxou ao pai ou a mãe, o que trouxe na bagagem para distribuir ao mundo, essas coisas...
Beijos e luz!
 
Um texto que me tocou particularmente. Não consigo dizer mais nada.
Se o teu é pessoal, então desejo-te um dia feliz porque a felicidade está sempre ao alcançe de quem a quiser agarrar, basta acreditar ;)
Abraço apertado
 
Adorei ler o teu post. Fez-me lembrar uma entrevista que li há tempos de Savater. O filósofo diz algo que se resume ao seguinte: uma infância traumática não é aquela que está cheia de problemas e , até violência, uma infância traumática é aquela que foi totalmente feliz. Isto porque a partir dela só podemos esperar o pior porque o melhor já passou. O passado passa assim a ser uma referência que nos condiciona o futuro.Por outro lado, um passado doloroso constrói pessoas lutadoras e persistentes, tal como referes.
Não sei se devo dar-te os parabéns, de qualquer forma espero que sejas feliz, o mais e melhor que puderes!
Beijinho Lu
 
História bonita e simultaneamente comovente. Gosto das mulheres desta fibra! Afinal todas temos agruras na vida. Mas duvido, embora com uma réstea de esperança, que esse trauma, esse recalcamento, que ela tenta afastar com o sucesso da outra parte de si mesma, venha a desaparecer.
É um prazer passar por aqui.
beijos
 
Hai Green tea.
Just like green tea rejuanates the whole body,your nice words give boost to my hopes.
Please publish your tarrot reading everyday in English also.
I will visit your blogg every day
 
Querida, acredito profundamente que não há coincidências. Ontem não publiquei nem passee por aqui, porque estava a comemorar o dia 8. Acabei de fazer o post de hoje, em homenagem a ontem, são 8 e pouco da manhã e és a minha primeira visita. Um abraço muito apertado e , se puderes, lê-me hoje. Só faltou lá deixar um bejinho para todas as meninas que nasceram a 8. Deixo aqui, se me permites!
 
Querida menina! És uma leonina de dia infinito? Acho que só para pessoas fortes assim Deus dá estes desafios pois sabe que poderão superar e ensinar com sua experiência. Que a vida te abençõe (e parece que já é assim)com toda a sabedoria e as alegrias da alma!
Um abraço muito apertado, Angela
 
Enviar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?