segunda-feira, julho 17, 2006

 

Seara em foice alheia ...ou Sintra em negativo?

Joaquina e o marido tinham vindo até Lisboa passar uns dias em casa da filha que morava lá para a linha de Sintra. Naquele domingo como era de costume foram à missa, cumprir a sua devoção. Estranharam a igreja, grande e moderna , cheia de luz e com as portas todas abertas por causa do calor, nada como a igreja lá da aldeia, aconchegada, escura e sempre fresca, cheia de santos e altares.
Aqui, havia até gentes de todo o lado, de todas as cores, africanos, timores , portugueses e alguns daquele branco deslavado – deviam ser os tais russos ou ucranianos, desses países de leste
que tanto se falava.


O órgão começou a tocar e ouviam-se cânticos; todos se levantaram. Ah!, nesta igreja o padre entra lá pelo fundo, pela porta principal, como se viesse da rua e atravessa o corredor, levando à frente um cortejo. O padre é um homem novo , usa sandálias e veste calça de ganga. O cabelo cortado rente, esgrouviado, cheio de redemoinhos. Joaquina olhou-o desconfiada. Quando chegou lá ao cimo do altar saudou os fiéis e disse-lhes até para agradecerem a sauna gratuita que tinham ali à disposição. Todos sorriram…Mas o mais interessante veio depois , na hora do sermão. O tal padre falou das injustiças que havia; falou de futebol e daquela história dos prémios dos jogadores que havia uns que nem queriam pagar o IRS. Não estava certo, não senhor, pensava Joaquina, que eles que andavam aos pontapés à bola ganhassem tanto dinheirinho e ainda achavam que não deviam pagar impostos como os outros que mal lhes chegava o ordenado até ao fim do mês e passavam tantas dificuldades. Depois o padre falou ainda, doutro caso injusto, que um jornal de Sintra dera a noticia. O senhor presidente da Câmara de Sintra tinha pensado atribuir um subsidio – Joaquina até nem percebeu bem se eram 20.000€uros ou 20.000 contos, credo tanto dinheiro ! àquele que aparecia muito na TVI, o tal José Castelo-Branco, esse mesmo, só porque o homenzinho tinha feito umas obras lá no seu palacete, pois então. Mas a ideia não foi avante, ainda bem, tanta gente sem casa e sem comer e ele a desperdiçar assim as verbas…
Ao fim, o padre veio pôr-se à saída da porta principal e falava um pouco com todos. Joaquina também foi lá cumprimentá-lo e até se afoitou a dizer-lhe que tinha gostado muito do sermão, sim senhor, que lá na terrinha não havia nada daquelas maneiras, mal acabava a missa cada um ia à sua vida e o padre não ficava a falar com ninguém!


Comments:
1- Mr. "White Castle" se calhar nem subsídio recebía, porque vive, não à sombra da Serra, mas da D. Betty...
2- Onde está a novidade? Neste como em outros municípios, o importante não é gastar bem os dinheiros públicos. É melhor, se calhar, gastá-lo em Causas(?) mediáticas...
3- Mas, parece, o dinheiro que NÃO HÁ para arranjar estradas, e muitas outras necessidades, está a ser sonegado pelos malandros do Governo, que até são de outra cor...

...e assim Sintra vai andando.
 
assim é , travessias

com as minhas desculpas por abusivamente ter usado o nome do teu blog mas sei que não perfilhas os usos e costumes de MR castle e não voves nem à sombra da Serra e muito menos de nenhuma D. Betty...
Claro, SINTRA VAI ANDANDO PORQUE AINDA HÁ BEM POUCO TEMPO AS ESTATISTICAS DIZIAM QUE ERA O 3º CONCELHO MAIS RICO DE pORTUGAL!!

O pior é o resto em q fica em último lugar e os "restos" que os malandros de qualquer cor vão metendo ao bolso ...

posto isto tem uma tarde fresca e amena, bucólica com cheiro a maresia - se conseguires.
 
Ainda bem que a d. Joaquina gostou do sermão do sr. prior... Beijinhos, semana feliz
 
Cá se vai andando no país de brandos costumes...
Xi Greentea grande...
 
Espero que tenhas tido um descanso merecido.

Sintra...ai Sintra....quem me dera estar em Monserrate agora...

Beijinhos
 
Saudades de Sintra...
Linda...

E embora eu não seja nenhuma adepta das religiões, penso que ao menos os padres, deviam entrar mais pelas portas comuns e orientar os seus fiés a serem mais esclarecidos...

Pobre senhora...
Pobre dos nossos países...

Coitados de nós!!!

Beijos,
Cris
 
Uiii es una historia tan real
Me hiciste acordar del sermón del sacerdote, acá hablan igual
De los ricos de los pobres, del fútbol, del gobierno…
No cambiaremos el mundo el mundo pero las injusticias están en todas partes, son muy pocos los que tienen y muchos lo que no tienen
La vida sacerdotal yo la encuentro tan sola, un domingo en la tarde donde todos estamos en familia…el esta solo con la iglesia misma
Que linda eres…Pessoa para mi es mágico, es bello, sueño con llegar a Lisboa y encontrarme con en las calles
Es verdad el esta allá en Lisboa, jaca y en cada calle sus versos
Besitos mi bella amiga y gracias, que sea una bella semana


besos y sueños
 
125,

a d. joaquina viu o que não costuma ver e ouviu falar do q talvez pensasse não ser possivel...

boa semana para ti tb
 
desassossego,

muito brandos mesmo

como é que na cabeça de Fernando Seara ainda passa a ideia de dar um subsidio a Jo´se Castelo Branco....
 
isa

Monserrate e outros locais mereciam estar +bem conservados
gastasse a edilidade o dinheiro q tem util e convenientemente...
 
lamina,

a senhora talvez ficasse deslumbrada com o q viu naquela igreja tão diferente da da sua terrinha ouvindo o padre falar das injustiças que os governantes cometem...
Sintra é património mundial , para conservar, preservar e sobretudo não desperdiçar dinheiros públicos com gentinha que nada faz e vive à conta de outros como esse tal Castelo Branco e sua D. Betty
 
freyja

se a igreja tivesse crescido , tivesse acompanhado a evolução e não impusesse comportamentos tão limitattivos talvez o mundo em q vivemos fosse um pouco diferente...

Pessoa está sempre por aí e gostei de reler o Livro do Desassossego...

beijos para ti
 
Que lindo tudo nesse post! Que vontade de viajar, ai, ai! Parabéns...
 
Apesar de eu não ser católica concordo com as idéias deste padre.

Um grande abraço, querida!
 
GREENTEA

MUY BIÉN EL PADRE .

TE DEJO MIS SALUDOS

ADAL

SHALOM
 
Enviar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?