quinta-feira, julho 06, 2006

 

FERIAS...

Fizera 18 anos em Março e acabara os exames do 12º. Ainda não sabia os resultados mas ia com média de 18 e estava descansada. No inicio do ano pedira aos pais para começar a tirar a carta e eles concordaram. Pediu para ir à viagem de finalistas , lá para os lados de Barcelona e eles acederam. Houve o baile de finalistas, de vestido comprido e tudo que a mãe ajudou a escolher, e ela também foi, claro.
Agora, entre o final dos exames e o grande passo que é a entrada na faculdade pediu se podia ir acampar com uns colegas. E os pais disseram que sim, ponderados todos os itens, as companhias, os locais, as viagens…
Não que os pais digam que sim a tudo. Mas , Rita é sensata e sabe bem as suas escolhas e aquilo que pode pedir. E sabe que os pais que tem , evoluíram com ela, rejuvenesceram-se com ela e por ela, actualizam-se todos os dias para acompanharem a filha, sem a “prenderem” como a raposa dizia ao Principezinho.
João também ia, claro. João que Rita conhecia desde os quatro anos e seu amigo preferido no Colégio, desde sempre, companheiro de brincadeiras, de estudos, de saídas, João mais-do-que-um-irmão, João com quem tantas vezes estava ora em casa de um ora em casa de outro porque cresceram juntos , sempre nas mesmas escolas, este ano na mesma turma e na mesma faculdade, no próximo. João um excelente aluno como ela, acérrimo defensor de Rita quando algum importuno se abeira dela, que sempre foi linda-de-morrer, os olhos mais verdes de todos os sítios por onde passa e, sobretudo, uma mente brilhante e um espírito aberto.



Estava então decidido, iriam acampar nessa semana. Na 5ªfeira, apanhavam o comboio na Gare do Oriente, pernoitavam na casa da Avó do Ricardo e no dia seguinte iam directos ao Parque de Campismo. Fizeram-se as últimas compras, os preparativos de última hora, escolheu-se o saco-cama… E é então que começam os toques do telemóvel e Rita que vai ter com a mãe, super-entristecida: a Filipa já não ía!
Pais são pais – alguns permissivos demais , deixa-andar-não-querem-saber, outros rígidos e conservadores, alguns pensam que os filhos têm sempre dois anos e outros utilizam o seu estatuto para chantagear. A mãe da Filipa , já depois de ter concordado que ela podia ir com os colegas, pôs-lha a alternativa : - “ Ó vais para o campismo ou tiras a carta”.!

Ora , uma coisa não tem a ver com a outra, nem mesmo em termos económicos, porque oito dias num Parque de Campismo, com viagens de comboio regional e cartão jovem, não custa assim tanto e será também um prémio ao esforço deles que todos tiveram óptimas notas , trabalharam duro durante o ano todo e durante os exames e merecem uns dias diferentes. E são responsáveis, respeitam o ambiente e respeitam-se a eles próprios. A Filipa ficou chocada, tal como os amigos. Mas não teve escolha e optou por tirar a Carta de Condução.
João conferenciou com Rita, porque eles não iam se elas não fossem. Rita veio saber a opinião da mãe. Foram as duas ao shopping comprar umas coisas , passaram na berska e na stradivarius, conversaram pelo caminho. Porque em casa havia sempre aquela abertura de se falar de tudo, de se perguntar porquê, de se reflectir num não, de se explicar as razões das coisas.
Isso. Desde o dia em que Rita , com seis anos, ao assistir a um programa de televisão, perguntara à mãe para que servia um preservativo.
Atitudes…

Comments:
Grande ATITUDE!!!! É bom saber que existem pessoas como a Rita, conscientes. E sobretudo que existem pessoas como os pais da Rita, que educam na base da confiança e da responsabilidade! Fico contente por teres partilhado a história! Bjs de Luz
 
OLá! pois há Atitudes que são um marco na nossa vida, essas são as atitudes que devemos passar aos nossos filhos.. não os podemos ter sempre numa redoma, temos que fazer tal qual os pássaros fazem com os seus filhos quando dão o 1º vôo! Devemos educar na base da confiança, mas às vezes também é fácil falar, ele há pais e pais, e filhos e filhos! Bjhs
 
moonlight

acho q é importante partilhar esta história para que haja muitas RITAS E NENHUMA Filipa, muitos pais como os da Rita e nenhuns como os da Filipa, que primeira dizem sim , depois voltam com a palavra atrás e fazem chantagem...

Quando esta Rita tinha dois anos e pouco pediu à mãe para não lhe pôr mais a fralda da noite, afirmando que não fazia "nada"; a mãe acedeu dando essa liberdade, essa responsabilidade e a Rita nunca molhou a cama. E foi sempre assim, gradualmente. beijo para ti
 
maresia,
dizes bem qd comparas os nossos filhos ao voo dos pássaros!

qd eles começam a andar temos de os deixar andar e levantar e cair, tal qual como quando começam na bicicleta...
só assim se aprende e não andando sempre com eles ao colo~~
beijinhos
 
Re-olá
espero que esses diazitos sejam como bálsamo e te façam bem.. as vezes às vezes precisa.. bjhs e sê feliz!
 
Acho legal essa coisa de falar abertamente sobre as coisas. Lá em casa era muito difícil tratar de certos assuntos, pois meus pais sempre foram muito conservadores e não admitiam serem questionados. Mas admiro muito os pais que tem a coragem de falar abertamente sobre qualquer coisa.
ATITUDE!

Beijos mil!
Tom
 
Bjinho,
 
Ai que texto terrível para uma recém mãe ler... ja pensou qdo minha filha for passar a noite fora???
aaaaaaaaaaaiiiiiiiiiiiiiii!!!!!!!!
 
siempre tus saludos hacen tan bien
llegar aqui tambien
me alegra que tomes vacaciones y descanses, se te va a extrañar
un abrazo muy grande y que sea una bella semana
besitos y mi abrazo grande



besos y sueños
 
Greentea, ótimas férias para você! Beijos da Ursa :))
 
A atitude dos filhos, na maioria das vezes, é a cópia da dos pais. A comunicação pais-filhos é fundamental como estrutura, base. Para depois terem também a sua própria atitude, voarem...

Boas férias. Vamos ter saudades * :)
 
Concordo tanto que nem sei que te diga. Pena que as Filipas esbarrem nessas duplas mensagens. Conheço-as bem de mais.
Beijo
 
Não sei se te encontrarei ainda aqui quando vier de fim de semana, por isso deixo hoje os meus votos de boas férias. E um beijinho.
Quanto ao assunto que aqui tocas, pois é, com alguns de nós as decepções começam quase à nascença...
 
Isto de ser-se pais também não é nada fácil, penso eu que apenas sou filha, tenho me deparado com diferentes tipos de pais que assumem posturas e atitutes que chocam e outros que fazem dizer quando for grande quero ser assim...xi
 
O final foi muito engraçado. Tenho que ver o quê há no meu sistema que não está acusando suas atualizações. Vim de palpite para curtir o bem estar que propicias.
 
No fundo tudo é uma questão de atitude.
Beijos
 
Rita, Filipa, João, um trio na imensidão de jovens que procura a diferença, a alegria de viver, a confraternização e a amizade...
As atitudes são consequências da forma de olhar as pessoas, as coisas e os comportamentos...
 
ora ai esta atitude!
Bjos
 
Sem querer ser pretensiosa ou convencida (não o sou), sinto-me a mãe da Rita em relação à minha filhota de 15 anos.
Desde os seus 4/5 anos que mantenho com ela uma relação de total abertura, cumplicidade e compreensão e isso tem dado os seus frutos. É uma menina maravilhosa e responsável...( Sou uma mãe babada, eu sei.Sorrio)

A tua história fez-me lembrar a minha história.
Um beijo sentido. Um excelente fim-de-semana.
 
Pois... atitudes diferentes... que muitas vezes os pais têm e que marcam a nossa postura no futuro!~
Adoro os meus pais... mas muita coisa não vou repetir com os meus filhos... pelo contrário, vou fazer questão de fazer exactamente o oposto.
Porque afinal o excesso de protecção não me impediu de ter precalços na vida... muito pelo contrário... fazia muitas vezes "asneiras" só por revolta...
Porque eu afinal até era bem comportada, responsável.. com média de 18... só pedia alguma liberdade.
Enfim... já estou a ficar chochinha.
beijões grandes para ti,
Cláudia
 
Muito obrigada pela sua visita.

Um beijinho.
 
GREENTEA

BUENAS VACACIONES .

ADAL

SHALOM
 
Era tão bom se todas as mães fossem como as da Rita!...
Beijinhos grandes,
Musa
 
marcar pela diferença, isto é pela a atitude correcta nos momentos certos

:)
 
Boas férias, amiga!
 
Fui ver no Technorati ... Me passa um mail e te explico. Meu mail está no meu perfil do Blogger.
 
OLÁ
Ao fim de umas 3 semanas cá estou, está ainda complicada a situação, mais 8 dias de tratamento e depois logo se vê...
Mas, estes 2 textos que aqui colocaste sobre ATITUDE, li-os com toda a atenção e posso dizer que estou num momento da minha Vida, em que não tenho qualquer atitude, é triste chegar a esta conclusão, mas...é a realidade!
Estou muito apática em relação a tudo que me rodeia...só queria dormir umas semanas e, quando voltasse a acordar, muitas coisas se tivessem apagado da minha memória, principalmente estes 2 anos - 2005 e 2006. Beijos
 
Se há uma coisa que fiz bem feita nesta vida foi construir esta relação de confiança e respeito mútuo com minhas filhas! Assim como na família de Rita. Com o passar dos anos estas relações só reforçam o amor e a união!
um beijo da angela.
 
Bonito, este blog! A responsabilidade e o facto de não se mentir às crianças (nem mentiras piedosas)...
 
Atitudes! Depois não sabem os pais porque perdem os filhos... Beijinhos
 
Olá!!
Gostei muito de ler este teu post!
É!! Temso de ter atitude!! Eu sempre o tive, graças a uns Pais fantásticos que confiam na filha!
Confiança é a base de muita coisa!!

Atitude!!!!!

Beijinhos
:)
 
Depois de uma parada forçada, estou voltando ao blog, aos poucos, mas voltando...Agradeço o carinho de sempre.Bjs
 
:-) E a Rita vai ser uma grande mulher como a mãe, e sei que sabes disso

Beijo Grande
 
E as férias? Estão legais???
Eu estou doidinho de saudades pra saber tudo o que rolou nesse período.

Beijinhos,
Tom
 
Só passei para deixar um beijo com sabor a maresia
 
Ai que saudaaaaaaaadeeeeee!!!!
Espero que estejas se divertindo muito nas suas férias.

Forte abraço,

Tom
 
Querida Green!

Linda história!
Ótima escritora vocè é.
Aqui no Brasil a carta chama-se carteira de motorista. No final do texto eu consegui satisfazer esta dúvida. E fiquei pensando até lá pelo meio do texto: Engraçado, será que os portugueses dão cartas de alforria para os filhos? Eles bem que gostariam e bem cedo. Ir para a casa dos colegas e ficar até o dia seguinte parece ser uma conquista. É bom quando temos aqueles colegas que se criaram com gente. Eu não tive isso, mas faz tempo que estou agora na mesma turma de Inglês que muda bastante de indivíduos. Amizade e bons objetivos comuns nos protegem.

Grande beijo!
Tudo de bom!
 
Enviar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?