sexta-feira, junho 02, 2006

 

O Bosque dos Pigmeus

Entraram em Ngoubé já a luz do dia desaparecia e os seus habitantes começavam a acender archotes e fogueiras para iluminar a aldeia. Passaram diante de umas esquálidas plantações de mandioca, café e banana, de alguns altos currais de madeira e de uma fila de palhotas sem janelas , com paredes inclinadas e telhados em ruínas. Algumas vacas de longos chifres mastigavam as ervas do chão e por toda a parte corriam frangos meio depenados, cães famélicos e macacos selvagens.
O rei estava sobre um estrado, sentado num cadeirão de felpa vermelha e madeira dourada. …usava um chapéu monumental com um metro de altura, adornado com quatro chifres de ouro. Ostentava colares de dentes de leão e uma cortina de contas de vidro e ouro tapava-lhe a cara. Uma bengala de ouro maciço servia-lhe de ceptro. O rei usava grossos anéis de ouro nos dedos em formas de animais e grossas pulseiras do mesmo metal lhe cobriam os braços até ao cotovelo.
Mulheres e pigmeus não faziam parte do circulo real mas atrás da corte masculina havia uma vintena de mulheres muito jovens que se distinguiam dos outros habitantes porque estavam vestidas de cores vistosas e enfeitadas com pesadas jóias de ouro. Algumas tinham crianças ao colo e havia vários miúdos à sua volta. Deduziram que se tratava da família real e chamou-lhes a atenção as mulheres parecerem tão submissas como os pigmeus.

Kate interrogou-se de onde viria tanto ouro, porque a aldeia era das mais pobres que já vira. Que outras riquezas haveria nas mãos do rei? Entretanto, a população de Ngoubé vivia na miséria, sem comunicação com o mundo exterior, electricidade, água limpa, educação ou medicamentos.


E recordou…

os pigmeus eram a sociedade mais livre e igualitária que se conhecia. Homens e mulheres viviam numa estreita camaradagem, os casais caçavam juntos e partilhava-se igualmente o cuidado das crianças. Entre eles não havia hierarquias. Não existiam diferenças entre homens e mulheres ou entre velhos e jovens; as crianças não deviam obediência aos pais. A violência entre membros do clã era desconhecida. Viviam em grupos familiares, ninguém possuía mais bens que os outros, produziam apenas o indispensável para o consumo diário. Não havia incentivos à acumulação de bens…Tudo era partilhado. Era um povo ferozmente independente que não fora subjugado nem sequer pelos colonizadores europeus, mas nos tempos mais recentes muitos deles tinham sido escravizados pelos bantos.

O Bosque dos Pigmeus – Isabel Allende
















outras informações sobre os pigmeus em www.sosenfants.com

Comments:
Greentea

O bosque sempre foi, para mim, um lugar mágico. O próprio nome fala-me de maravilhas.

"O Bosque dos pigmeus" Isabel Allende retrata uma sociedade de sonho, livre, igual, sem violência, com muito respeito pelo semelhante, pela natureza, pelo bosque...

Nos tempos mais recentes...infelizmente, tudo é possível, até a escravatura de um povo que nunca se deixou subjugar.

~*Um beijo*~
 
Se houvesse o Paraíso, seria talvez ali?

Beijinhos e bom fim de semana :)
 
Greentea...
É engraçado como são as culturas dos povos! É difícil imaginar a existência de um povo livre de preconceitos, de ambições, da inveja e da concorrência. Hoje vivemos num mundo tão louco que os pobres dos Pigmeus não entenderiam nada sobre o homem moderno.

Adorei!

Bom fim de semana pra você.
Beijos mil!
 
Achei interessantissimo, aliás como todos os assuntos deste espaço. Talvez devessemos aprender com este povo...
Vou levar o selo pela Amazónia.
Beijinho e bom fim de semana
 
Passei por cima de uns posts só para te dizer que ando em fase de reflexão...
Um local assim seria bom, ou parecido, sempre gostei da vida ao ar livre, antes de... tinha um sonho, ir viver para outro lado. Mas, a vida alterou-se. Sabes esta semana fui a Sintra, sozinha e dormi na Residencial oceano mesmo em frente à Praia das Maças.
Que bem que me soube, ficar na praia á noite, olhar a Lua e recordar tempos antigos.
Gostei muito de ver que está tudo mais cuidado.
Engraçado na Rua do Mindelo, ainda estão as escadas que nos levam à praia, quando a maré está vazia.
Tambem as desci e sentei-me nas rochas, onde costumava sentar-me...depois vieram os pescadores desconfiados...das minhas intenções... voltei a subir as escadas, a Residencial fica mesmo no terminal do electrico.
Gostei tanto...tanto.
Beijos amiguinha
 
SI LO TRASLADAMOS A ESTE MUNDO TAN VIOLENTO Y SI COMPARAMOS , PUEDE SER COMO UN PEQUEÑO PARAÍSO , NO ?

GREENTEA , CARIÑOS Y BUEN FIN DE SEMANA

ADAL

SHALOM
 
siempre regalando algo bello y nos enseñas
un abrazo grande y que estes muy bien


besos y sueños
 
Olá!!
Muito interessante, sim senhora!! :)
Gostei de ler este bocadinho!!

Bom fim-de-semana!
Beijinhos
:)
 
ainda bem que gostaste, NOITE

Faz bem de vez em quando sair da rotina.
Há uns anos, ainda morava em Lisboa, deu-me uma neura daquelas de cortar à faca...e foi o que fiz: meti pés ao caminho, passei por Sintra fui até à Praia das Maçãs e tb dormi por lá , acho q nessa mesma Residencial. E fez-me bem, no dia seguinte as perspectivas eram outras e vi o mundocom outros olhos!

A reflexão faz sempre bem. Aparece quando quizeres. Não gosta de horas marcadas.
Um beijo para ti.
 
O bosque dos Pigmeus está inserido numa Trilogia onde são focados por Isabel Allende a Amazónia, o Reino do Butão e a vida dos Pigmeus num Bosque Africano - representando a dignidade humana, a vida sem violencia e o respeito pela Natureza, a igualdade entre os seres humanos.

A sua leitura é de extrema importância, nos tempos que vivemos actualmente.
 
gracias por tus lindos saludos en Sucesos
una copa de vino con un bello amor siempre sera lindo
gracias
te dejo un abrazo muy grande y que tengas un bello dia domingo
un besote y gracias por tu compañia


besos y sueños
 
Comecei a ler este livro, mas ainda não o terminei...:)

Beijinho e bom domingo!
 
Alguém pode ser rico, poderoso e demais as custas da miséria e do sofrimento alheio. Assim se dá com os ricos, sempre e este é um exemplo bem claro disso. Prosperidade é uma coisa, riqueza é outra. Seria muito bom termos todo o conforto, o luxo para mim nem sequer estético é, antes pelo contrário, é algo que destoa do todo e me passa uma idéia de solidão e desconforto.

Beijos!
Tudo de bom!
 
Sintra com sua Serra e sua Floresta continua linda. Cá por baixo... nem tanto.
Boa semana.
 
Greentea
A organização social, económica e política nestes reinos sempre foi assim. Era rei o mais forte o que tinha maior capacidade de liderança, o que melhor manejava as armas...A hierarquia social existente era muito injusta e desigualitária como bem o demonstras. Enquanto uns trabalhavam arduamente para assegurar . e mal, o seu sustento outros viviam na abundância,explorando impiedosamente o seu semelhante. A história nunca conseguiu contrariar isto. Será que alguma vez o irá conseguir?
 
Me parece não ser possíve a igualdade em grupos sociais, quando se trata de humanos. Mesmo em uma sociedade aparentemente igualitária, as desigualdades certamente existem, ainda que bem disfarçadas ou muito bem inseridas...

Beijinhos de bom domingo!!!
Cris
 
Desconsidere meus muitos erros de digitação e minha insistência em não reler o que escrevo...

São coisas minhas, enfim...

Beijinhos!!!
Cris
 
passei +por aqui e achei este blog muito interessante, fico a aguardar a sua visita.
 
Tu deves ser uma pessoa muito especial!!!!!!!




Beijos
 
Greentea, adorei esse texto sobre o Bosque dos Pigmeus! Beijos da Ursa :))
 
Olá querida,
que belissimo post, as culturas dos povos, as suas tradições são de enaltecer. A haver um paraíso deve ser aí mesmo... mas o homem, tem sempre o dom de estragar tudo, espero que isso não aconteça aqui.. Bjhs e bom fds
 
Greentea, Como sempre temas muito interessantes. Beijos de Luz e obrigada pelas tuas sempre muito doces visitas.
 
Enviar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?