quinta-feira, maio 11, 2006

 

A TODAS AS MÃES



Independentemente da raça ou da espécie, uma coisa é certa: mãe só há uma. Tal como para os humanos, não existe nada mais forte no mundo animal do que a relação entre mãe e filho. As crias dependem das suas mães para sobreviver e, de um modo geral, são elas que as preparam para a vida adulta. As mães são muito carinhosas, podendo ser também, por vezes, agressivas com todos os que querem fazer mal aos seus filhos. Estes são a sua principal prioridade e razão de viver. Por essa mesma razão, o seu sofrimento e aflição são tão grandes quando vêem os filhos serem-lhes roubados. Um sentimento de perda que não consegue ser ultrapassado e que muitas vezes, tal como acontece com os humanos, é a principal causa de angústia e depressão. Todos os anos, milhares de crias são roubadas às suas mães que, por seu lado, são obrigadas a procriar e a renunciar continuamente à criação dos seus filhos. Os bezerros machos, por exemplo, são retirados das mães imediatamente após o seu nascimento e colocados em caixotes de madeira, onde serão alimentados à base de leite desnatado. Quando atingem os 4 meses de vida (anémicos e com os músculos atrofiados), são mortos para que a sua carne (vitela) seja vendida.A mãe porca e os seus leitões parecem ter o mesmo destino infeliz. A mãe porca é obrigada a procriar pelo menos 2 vezes ao ano. Os leitões são desmamados antes de fazerem 1 mês de vida e, em seguida, são encaminhados para a engorda seguida de abate.Por sua vez, a mãe galinha vê os seus ovos serem-lhe retirados logo após a postura, para serem chocados em incubadoras artificiais. Com apenas um dia de idade, os seus pintainhos são levados para os aviários. Mas se forem pintos machos o mais provável é que sejam descartados, pois não são rentáveis para a indústria.
Estes são apenas alguns exemplos da vida infeliz de muitas mães do mundo animal. Mães que, sentindo-se impotentes por não conseguirem proteger as suas crias, a única coisa que lhes resta é chorar a sua perda. O Dia da Mãe não é apenas o dia da nossa mãe, mas sim de todas as mães do mundo. Independentemente de ter sido quem nos deu à luz, a sua religião, raça ou espécie, devemos apenas respeitá-las e mostrar-lhes que nos lembramos delas.

Algumas propostas para um Dia da Mãe diferente:- Ajuda uma mãe de outra espécie; a maioria das associações de animais permite não apenas adoptar, mas também apadrinhar uma das muitas mães cadela/gata e filhotes acolhidos ( Associações );-
Convida a tua mãe para um almoço/jantar num restaurante vegetariano;-
Prepara e oferece um bolo vegano especial para o dia da Mãe.
Referências:http://www.svb.org.br Inserido em: 2006.05.07 Última actualização: 2006.05.07

Em muitos países o Dia da Mãe vai ser celebrado no próximo dia 14, mas é sempre altura para lembrarmos .

(texto recebido por mail da AVP)

Comments:
Querida, eu achei muito criativa esta tua abordagem. Até hoje só havia visto referências quanto às mães humanas a respeito do dia das mães e sua idéia é maravilhosa.
Coloquei linque para teu teu post falando do assunto: animais da Terra- percebemos como estão sumindo e sendo maltratados.

Beijos! Tudo de bom!
 
Quanta sensiblidade!

Deixo-te um sorriso...
 
Pois é,
também gostei imenso do que escreveu e admito que já pensei em deixar de comer carne por variadíssimas razões, mas nunca por esta que evocou, que acho bem interessante.É isso mesmo, os animaizinhos também Têm Mãe!
Ainda ontem fui a Coimbra e fossem que horas fossem eu tinha de almoçar na Mealhada e comer o leitãozinho..e lá fui eram 4h da tarde.
Sabe que está aqui uma história muito interessante para os mais novos? Vou Divulgá-la.

Valeu a pena este bocadinho.
Bom dia
 
Olá!

Muito prazer em conhecer-te, reparei que és vegetariana, correcto? e adorava
adicionar o teu blog á minha lista de amigos :)

se ouver algum incoveniente é só dizer que eu passo a retirar o teu blog.

Beijocas!!


http://vegblogpt.blogspot.com/
 
que hermoso esto, haces ver que la naturaleza siempre esta y cada animal tiene derecho a vivir
ojala todos entiendan con el corazon lo que hoy dejas aqui
gracias por tus saludos
gracias por cada palabra, los recueros muchas veces hacen doler el alma, el tiempo se encarga de todo
te dejo un abrazo grande y que estes muy bien, y que sea un bello fin de semana


besos y sueños
 
Querida,
Teu post com abordagem rural,lembra tempos de minha infância.
Hoje que eu percebi que o teu link estava entre os blogs brasileiros e não entre meus links dos "Blogs de Outros Mundos". Já retifiquei.

Bjs
 
Gostei muito deste post. É tão fácil esquecermo-nos do que se passa com os outros, até com os animais! Obrigada, Greentea, pela tua atenção ao mundo, e pela tua partilha. :-)
 
Continuando as tuas palavras deixadas no Fotoescrita: a Natureza é belíssima! Eu, que vivo em Lisboa, sinto a falta de jardins. Há um defronte do meu prédio, o que já não é mau. Sempre dá mais cor aos nossos olhos. O resto à volta é feio e seco.
 
mesmo dentro de casa tenho plantas, pois umas são diferentes das outras , não consigo viver sem elas pela energia que me transmitem.
os pássaros vêm por acréscimo.
Há anos, trabalhava num local onde a marquize dava para telhado. Havia muitas rolas por ali e comecei a deitar-lhes comida...
um senhor meu conhecido tem um escritório em plena Almirante Reis , em Lisboa. O gabinete dele tem uma pequena varanda, mas ele começou a deitar arroz para os pombos q por lá passavam e era uma ternura vê-los - nem tinham medo das pessoas!
Não posso ter uma oliveira mas tenho uma mini-oliveira que até dá flor e azeitonas. E uma mini-laranjeira envazada q tb dá laranjas e boas!
Até o caroço da Manga germina e posto num vaso dá um lindo arbusto... é sempre possivel termos a Natureza à nossa volta , se quizermos...mesmo no meio do cimento.
 
És uma espécie de grilo falante aos meus ouvidos. Mas para melhor.
beijo
 
fada do lago, aonde andas?

não se pode contactar contigo - directamente , digo eu , só por mensagens de outras dimensões, outros canais...

tem um bom dia, apetecia-me sentar à beira do lago e conversar contigo

beijos
 
grilo, então ????????

agora passei a grilo, ant!
não arranjavas nada melhor ?

mas seja, por amor à Mãe-Nature...

beijos para ti ...e risos.
 
Olá. Obrigada por sua visita! Adorei seu Blog, ilustrativo, e a preocupãção com o reino animal! Muito bom mesmo! Abraço carinhoso. Nika
 
É... isto'tá tudo de pantanas... nÉ?

intÉ
 
Pois, um mal menor, não é? ;-)
 
É a industrialização da natureza, a nossa estranha forma de reduzir o mundo! Esta é uma boa lembrança para o dia da Mãe!

Obrigada pela dica, não posso ir (suponho que é Maio não encontrei no site)embora gostasse muito.

Beijinhos
 
Agora nem estava a perceber o texto,
Pensei que me tinha enganado no post que está um amor de fofura...
Recebi o mail lindo e enternecedor.
Obrigada amiga
beijos
 
E QUE LINDO O TEU POST, NOITE-ARVORE-FLORESTA-RAIZ

QUE LINDA ES TU, ESTRELA QUE TORNAS A FLORESTA VIVA!!!!

BEIJOS PARA TI.
 
Obrigado pelos vossos comentários. Sinto que fazemos parte de uma comunidade que ainda não tem voz suficiente para se fazer ouvir, no entanto somos poucos mas bons e sem dúvida com uma consciência e sensibilidade apurada.

Gosto sempre de me sentir compreendido e de encontrar pessoas assim, que se identificam.

A união dá-nos voz!

Abraço!! ;)
 
A bem da verdade, e respeito pela lei e pelos Direitos de Autor, quem te enviou a mensagem deveria ter referido que a autora é Rosa Sousa, do Centro Vegetariano:
http://www.centrovegetariano.org/index.php?article_id=392
Seja como for, é bom que divulguemos a mensagem...
 
xyxx

está referido no post que foi recebido por mail da AVP

não sei se a autora é a que me indica pois recebo a informação por mail da AVP .
 
xyxx

ainda por cima não se identifica porquê?

de blogs anonimos e q não permitem comentarios estamos fartos
 
não tenho palavras para este texto... não sei dizer nada ... vou pegar naquilo que já foi dito, porque diz o tudo o que eu poderia e gostaria de dizer!



in: http://gatolunar.blogspot.com/

Friday, May 05, 2006
Se este olhar fosse o meu
o que veria?

e

Monday, May 08, 2006
A Infinitude do Amor

beijinhos!
parabéns por este post!!!!!!
dias felizes e bom fim-de-semana!
 
Eu não como carne há mais de 20 anos e mesmo qundo comia nunca consegui comer vitela, leitão, coelho e pombos, passarinhos e afins. Adorei a forma criativa como nos espetaste a consciência com este post. És linda!
 
OBRIGADO.....:)


BEIJO.
 
a ultima vez que disse:
_ mãe só há uma....ela obrigou-me a comprar outra


beijo
 
..."Mães que, sentindo-se impotentes por não conseguirem proteger as suas crias, a única coisa que lhes resta é chorar a sua perda".

Intenso, fortemente triste, mas extremamente verdadeiro!!!

Parabéns pelo espaço!!!
Gostei muito e quero te agradecer por tuas visitas e tenho estado pouco disponível para ser atenciosa com as pessoas queridas que me vistam, mas estou sem meu computador e há ainda o velho e já conhecido invasor, que insiste em me retirar e me devolver o poder de abrir minhas prórias coisas.

Beijinhos e bom final de semana!!!
Da Cris
 
Muito bonito este post.

Mães já todos fomos
Agora ou no passado
E se agora já não o somos
Tal não é nenhum pecado

Pecado é nada fazermos
Para a vida melhorar
É olhar e não vermos
Quanta sede há, de amar

Com a natureza aprendemos
Com todas as mães a lição
Com o coração melhor vemos
Não vemos sem o coração

E se és mãe te venho beijar
Como quem beija uma flor
Um filho que quer abraçar
Todas as mães com amor

José António
 
uma abordagem fora do comum e por isso excelente.

:)
 
heheh.. adorei o post!!
deixo-te um sorriso!
beijos e bom fim-de-semana
 
Lindo post!
obrigada pelo comentario!
beijos da moranguita
 
Lindo post!
obrigada pelo comentario!
beijos da moranguita
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Olá greentea,

O seu blogue parece-me já ter alguns conteúdos e calculo que o faça com algum carinho. Vou fazer alguns comentários, que espero sinceramente que sirvam para melhorar a qualidade da informação que aqui publica.

Também estou na lista que refere (como aliás mais algumas centenas de pessoas), e aquilo que recebeu na lista de discussão foi um excerto (o primeiro parágrafo) e a ligação para o artigo original, de onde provavelmente retirou o artigo.

Indiquei essa ligação no comentário acima e nela pode confirmar a autenticidade do artigo.

Mas sinceramente não sei porquê tanta rudeza, nem da sua parte nem da minha, quando afinal me parece que somos companheiros de lutas.

Errar é humano, e a greentea, como eu, não tem de ter nascido ensinada. Espera-se, isso sim, que tenha a sensibilidade de assumir os seus erros e os corrija.

Não creio que a autora do artigo em causa vá reclamar direitos, mas será que a greentea gostava de ver os seus posts plagiados, ou os seus trabalhos escolares/profissionais, ou o que quer que seja? E será que isso dignifica o seu blog? Será um trabalho de qualidade publicar um artigo com uma referência tão precária, quando a referência original e correcta está disponível?
E qual é o problema de simplesmente dar o merecido crédito a quem ele é devido? De certeza que não é nada pessoal contra a autora do artigo, e suponho que nem a conheça pessoalmente (eu conheço, e asseguro-lhe que merece um pouco mais de consideração do que aquela que estamos aqui a ter).

Quanto à minha identificação, está tão clara como a sua: sou o xyxx, como a minha cara blogger é a greentea. Se tiver os conhecimentos certos vai conseguir identificar-me, da mesma forma que eu conseguirei identificá-la a si. De resto, espero sinceramente que se preocupe mais com o conteúdo da minha mensagem do que com a minha pessoa, da mesma forma que eu me preocupo mais com o seu blog do que com a sua pessoa.

Acredite que aprendi da pior maneira a ter mais cuidado com direitos de autor, e não é nada agradável. Há coimas, tribunal e tudo. Sugiro-lhe que tenha mais cuidado com os artigos e as imagens que aqui publica, para evitar surpresas desagradáveis. Informe-se, por exemplo, na página da SPA.
Infelizmente, em Portugal estamos na república das bananas, e convencemo-nos que é sempre assim. Feliz ou infelizmente, de vez em quando as leis funcionam. É bom quando estamos do lado delas, é mau quando não.

Termino (quase) como comecei:
O seu blogue parece-me já ter alguns conteúdos e calculo que o faça com algum carinho. Fiz alguns comentários, que espero sinceramente que sirvam para melhorar a qualidade da informação que aqui publica.
 
Enviar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?